Atualizamos nossa galeria com o filme ‘The Bronze’, em que o Sebastian interpretou recentemente o personagem Lance Tucker ao lado da atriz Melissa Rauch, Haley Lu Richardson e Thomas Middleditch. Confira clicando nas miniaturas abaixo:

011.jpg 023.jpg 178.jpg 477.jpg

INICIO > FILMES | MOVIES > THE BRONZE (2016) > MOVIE SCREENCAPS

Sebastian Stan, Melissa Rauch, Haley Lu Richardson, Thomas Middleditch e o diretor Bryan Buckley deram entrevista ao Huffington Post para conversar um pouco sobre o novo filme do elenco, The Bronze. Confira:

Sebastian e Melissa Rauch deram uma nova entrevista com mais detalhes sobre a polêmica cena de sexo incluída no novo filme dos atores, The Bronze. Confira:

Podemos todos concordar que o marido ideal é aquele que te encoraja a fazer sexo com Sebastian Stan e inclusive te ajuda a fazer o roteiro que te permitirá isso? Se sim, Melissa Rauch deve ser a mulher mais sortuda do mundo: na comédia The Bronze, que ela co-escreveu com seu marido Winston, Rauch interpreta uma ginasta que se pega com o treinador olímpico vivido por Stan, no que é certamente a cena de sexo mais selvagem desse novo ano. Os personagens trazem suas habilidades atléticas para a cena, girando e cavalgando um no outro no exercício mais inapropriado do mundo. E com cada movimento ginasta, Rauch pode contar tanto com Stan quanto com seu marido para encorajá-la.

“Oh, Winston estava muito animado,” Rauch contou a Vulture recentemente em Los Angeles. “Tudo pelo melhor do filme! Ele estava até tipo, ‘nós devíamos refazer esse movimento.'”

“E foi tipo no segundo ou terceiro dia de gravações pra mim,” riu Stan. “Lembro de ter pensado ‘Eu realmente conhecerei melhor essas pessoas.'”

Assim como a audiência: Enquanto Stan é mais famoso por interpretar Bucky Barnes nos filmes do Capitão América e Rauch tem um trabalho estável como Bernadette em The Big Bang Theory, The Bronze oferece aos dois atores um novo modo de atuar, exemplificado pelo mais ousado encontro que você nunca verá nas franquias mais “para a família” dos dois.

“Nós escrevemos a cena como a mais “louca e épica cena de sexo do mundo,” disse Rauch. “Era realmente um roteiro pornô, essencialmente. Mas Sebastian foi muito fantástico e colocou esforço naquilo. Ele podia ter dito, “coloque meu dublê pra fazer isso”, mas ao invés disso ele chegou no set com um roupão e disse ‘Ok, vamos fazer isso.'”

Rauch também teve dublês em alguns momentos; ela selecionou como sua dublê uma dançarina do Cirque du Soleil que não tinha amarras quanto as cenas selvagens (e de nudez). “Toda vez que eu batia nela,” Stan diz, “Eu ficava tipo, ‘Meu Deus, você está bem?’  E ela ficava tipo ‘Só vai logo com isso.'”

“Lembro de ter ficado encarando ela como um cara estranho,” riu Rauch, “desejando que ela pudesse ser minha dublê em todos os momentos da vida. Em algum ponto, eu ficava tipo ‘Quer um roupão?’  e ela falava “Tudo bem, você vai ver tudo de qualquer jeito.’ E ela ficava literalmente lá, sentada com as pernas abertas, comendo sanduíche.”

Esse é o tipo de comportamento feminino que Rauch celebra em The Bronze, onde sua personagem, Hope, é uma ginasta desesperadamente se agarrando a seus 15 minutos de fama. Introduzida se masturbando enquanto assiste sua vitória olímpica em VHS, Hope é uma convencida que só evolui o mínimo até o fim do filme — em outras palavras, o típico idiota cômico que homens geralmente interpretam, não mulheres.

Rauch lutou contra os padrões enquanto tentava achar financiamento para The Bronze. “Foi horrível,” ela disse. “Lembro de ter falado com um produtor que disse ‘Eu nunca permitiria que minha filha falasse desse jeito,’ e nós ficamos tipo ‘Mas nós não estamos escrevendo isso sobre você ou sua filha’, e ouvimos ‘Ela não é amável o suficiente, você tem que deixá-la mais apresentável.’ e foi muito importante pra nós não fazer isso.”

“Tem muitos exemplos de anti herois masculinos em filmes,” ela continua. “e não muitas mulheres, porque há muita pressão para as mulheres em cena serem amáveis. E tem pressão na vida pra sermos amáveis. Essa personagem foi ordenada a agir de certa maneira e ser perfeita, mas agora que ela foi cortada por causa de seu machucado, essa é sua emancipação. Ela vai se rebelar contra isso e comer o que ela quiser, falar o que ela quiser.”

E transar com quem quiser — mesmo que Rauch, que gostaria de ter feito outra cena de sexo, teve seus limites. “Teve uma cena que não entrou na edição final que eu transava com um cara estranho em um banheiro,” ela diz, lembrando das tentativas de seu marido para achar o ator para esse papel.

“Winston me ligou um dia e disse, ‘Acho que achei o cara estranho! Ele tem um dente de madeira, está no chão e eu tenho o endereço profissional dele!”, Rauch ri. “Eu ficava tipo ‘Winston, esse cara vai pegar sua esposa por trás. Precisamos de um profissional treinado!'”

Fonte

Foi liberado mais uma entrevista de “The Bronze”, que estreia amanhã nos EUA. O canal JoBlo conversou com os atores Sebastian Stan e Thomas Middleditch sobre o filme, confira o vídeo legendado:

Inscreva-se em nosso canal para mais vídeos legendados!

001.jpg 027.jpg 058.jpg 057.jpg

INICIO > CAPTURAS | SCREENCAPS > ENTREVISTAS | INTERVIEWS > THE BRONZE – JOBLO MOVIE TRAILERS (2016)

Sebastian concedeu entrevista ao Wall Street Journal contando um pouco sobre seu personagem em The Bronze, o futuro da Marvel e um novo projeto como ator. Confira:

Milhares de apaixonados por cinema assistirão em breve Sebastian Stan na batalha de super-herois em “Capitão América: Guerra Civil”. Mas essa sexta feira, ele está em um tipo diferente de batalha, como o antagonista da vulgar comédia de ginástica “The Bronze”.

No filme, escrito pela estrela Melissa Rauch e Winston Rauch, Stan interpreta o vencedor das medalhas de prata e ouro Lance Tucker, contra a vencedora do bronze Hope Ann Greggory, dois ginastas disputando quem trainará um novo prodígio, Maggie.

“Meu personagem e a de Melissa são crianças adultas que nunca cresceram,” diz o ator de 33 anos. “Estão batendo o pé e dizendo ‘eu mereço o que mereço,’ porque eles não tiveram infâncias.”

Stan falou sobre outros aspectos de seu papel, incluindo a tão comentada cena de sexo, assim como seus dias na escola e faculdade e o que vêm a seguir para ele – o que podemos esperar sobre os próximos filmes da Marvel, começando com “Guerra Civil”.

O ator diz que modelou muitas coisas de seu personagem em alguém que ele conhecia, apesar de estar preocupado que a pessoa poderia ver o filme e reconhecer que o arrogante valentão de Stan era em partes baseado nele. “Não se pode julgar um livro pela capa, e esse indivíduo acabou sendo a pessoa mais doce do mundo,” Stan diz, adicionando que ele também se inspirou nos idiotas que frequentaram o ensino médio e a faculdade com ele.

Um filme involvendo uma cena de sexo com ginastas tem que envolver alguns movimentos, bem, ginastas. Stan disse que tentou fazer tantas acrobacias e movimentos quanto possível enquanto quase completamente nu, com a exceção de uma meia cobrindo suas genitálias, na frente de toda a equipe. “Você ficaria surpreso com o que é capaz de fazer quando chega a hora,” ele diz. “É quase como se você crescesse no desafio, e digo isso sem segundas intenções.”

Quando perguntado como “The Bronze” se compara a “O Lutador” – outro, apesar de muito mais sério, filme sobre um atleta lutando para continuar relevante – Stan se ilumina. “Eu amava lutar quando mais novo”, ele diz. “Eu amava WWF, que era como chamavam na minha época.” Mr. Perfect (aka Curt Hennig, que morreu em 2003 com 44 anos) era um de seus favoritos.

Quando ele se preparava para ir para a faculdade, Stan estava focado em entrar para a Tisch School of Arts. Foi a única em que ele se inscreveu, mas quando ele não conseguiu passar, ele teve que se desdobrar para achar outra. “Era Rutgers ou Sarah Lawrence para mim,” ele diz, se referindo ao renomado programa de escrita da faculdade. “Eu tive altos e baixos. É como um casamento que acaba e recomeça por anos, a escrita.”

A atuação venceu, porém, então ele fez audições e se matriculou na Rutger’d Mason Gross School of the Arts. “Os sanduíches eram muito bons,” Stan diz, se referindo aos sanduíches vendidos nos famosos carros de comida da  faculdade. “Eles vendiam bastante.”

Stan não pode divulgar detalhes sobre “Capitão América: Guerra Civil”, no qual os mocinhos estão divididos e lutando, mas ele adianta que a Marvel, conhecida pelos coloridos e mal humorados super herois, começará a fazer as coisas de um jeito um pouco diferente. “Estamos nos direcionando a um novo tom para os filmes a partir desse.”

O ator relembra uma “pequena faísca de esperança” que ele seria um jogador no MCU quando apareceu no filme de 2010 “Capitão América: O Primeiro Vingador.” “Eu senti que era o novato da turma, e os Vingadores eram tipo os experientes e grandes veteranos,” ele diz. “Então vindo disso para de repente apontar uma arma na cara de Roobert Downey Jr., você fica tipo, ’Como isso aconteceu?’

O ator também diz que terá um papel em uma nova comédia baseada em “I’m Dying Up Here,” uma série produzida por Jim Carrey, recentemente aprovada pela Showtime. A série, baseada no livro não fictício de mesmo nome por William Knoedelseder, é inspirado pela famosa Comedy Store, clube de comédia em Los Angeles durante os anos 70, quando estrelas como David Letterman, Jay Leno, Elayne Boosler and Robin Williams fizeram história. “Eu fiz meio que um pouco de comédia standup, o que é provavelmente a coisa mais assustadora do mundo,” Stan diz, se referindo ao seu trabalho gravando o episódio piloto.

O jornal também liberou um novo portrait de Sebastian (ainda não disponível em HQ) que já pode ser vizualizado na galeria.

001.jpg 001.jpg 001.jpg 001.jpg

INICIO > ENSAIOS FOTOGRÁFICOS | PHOTOSHOOTS > 043

Em entrevista ao Bustle, site no qual Sebastian já havia concedido entrevista falando sobre Capitão América: Guerra Civil, o ator falou sobre a cena de sexo no filme “The Bronze”, em que interpreta Lance Tucker. Confira:

Tem alguns momentos do cinema que ficaram em minha memória anos após vê-los. (…) E após ver The Bronze, posso garantir que a ginasta cena de sexo, com participação de Melissa Rauch e Sebastian Stan, ficará em minha consciência por muitas luas que estão por vir.

 The Bronze segue Hope, uma ginasta de uma pequena cidade que ganhou uma medalha de bronze nas Olimpíadas anos atrás. Enquanto ela se apega aos seus dias de glória, ela é obrigada a treinar uma nova ginasta para sua própria Olimpíada. Rauch, que co-escreveu o filme com seu marido, estrela como Hope, e Stan interpreta um treinador olímpico e amante antigo de Hope. Em uma cena inesquecível, o par relembra seu romance com uma “tão impressionante” e extremamente gráfica cena de sexo. 

“No script, estava literalmente descrita como a cena mais épica, insana, ofensiva, fascinante, perigosa, além dos limites de sexo ginasta que já existiu no mundo,” diz Stan. “Esse era o anúncio.”

A cena se dá assim: O par entra em um quarto de hotel, arrancando as roupas um do outro, se jogando por toda a sala, performando uma impressionante sequência de impressionantes cenas ginastas — enquanto nus — e enquanto fazendo sexo. É algo que você não consegue tirar os olhos. E algo que definitivamente te deixa boquiaberto.

“Só queria ver o que nós podíamos fazer,” diz Stan. “Nós desenrolamos a rotina na hora da folga. Tivemos pessoas do Cirque du Soleil, uma coreógrafa que foi vencedora dos jogos Olímpicos, e estávamos todos conversando às 8 da manhã, tomando cafés com roupão, dizendo ‘Você consegue virar desse jeito? E se fizéssemos isso? E se fizéssemos aquilo?'”

A cena que não pode ser perdida também revela a tatuagem do personagem, inspirada pelas olimpíadas (e muito fálica). “Aquilo ficou lá por pelo menos 1 semana após feita. Eu estava na academia, na sauna, e pensava ‘Droga, eu sou aquele cara agora,'” relembra Stan.

O co-star de Stan, Thomas Middleditch, que interpreta o outro interesse amoroso de Hope, ficou impressionado com a capacidade de Stan de fazer a difícil cena: “Ele realmente se esforçou pra aquilo. Qualquer outro ator ficaria muito tímido ou grosseiro sobre isso, mas ele realmente foi legal. Como resultado, a cena ficou lendária” Middleditch diz. “É marcante. A única vez que você viu algo parecido foi em Team America — e foi com bonecas. Aqui são pessoas reais fazendo as coisas mais loucas e estranhas. Não é pornô — é um filme de comédia — e de algum jeito, funciona.”

“Nunca me canso daquela cena. Queria que estivéssemos filmando ela hoje,” Stan brinca.

Fonte

12